domingo, 27 de outubro de 2013

Correr atrás do rabo


O caminho que ninguém deveria fazer é este que faz geralmente um cão quando tenta entender sua existencialidade: ‘ O porquê de ser sempre perseguido seja lá a direção que tome em sua vida. ’ Esta é a lógica do cachorro, tanto é que quando não tem uma roda de carro, um pedal de bicicleta ou o traseiro de outro amigo canino para sair atrás, resolve sair às voltas e no maior alarido a buscar este seu arqui-inimigo  e eterno perseguidor: o próprio rabo.
Parece que nós os humanos somos um pouco assim. Vez por outra nos colocamos neste brete em que não vemos saídas e como toda conjectura nos leva à conclusão de que somos as  eternas e inocentes vítimas; os maiores perseguidos de toda humanidade,  então começamos o nosso muro de lamentos acudindo aos céus por justiça e com toda certeza disparamos a correr atrás de nossas infelicidades e injustiças feitas a nós, é claro. Assumimos esta postura de correr atrás do próprio rabo, ou melhor; do próprio Ego, de tal maneira que tudo o mais que passe ao nosso redor deixe de existir a não ser um enorme buraco no qual nos metemos dentro e a única visão que temos é nosso dito cujo problema visto de maneira unilateral. E este poço é tão grande que palavras de outros soam como a voz enganosa das sereias ou Delfos de um perdido sonho mitológico no qual não acreditamos jamais. Somente nele, ou melhor, nosso Ego.
 Aí encontramos aquelas pessoas que não saem à rua por n motivos, não se olham no espelho por outras x desculpas. Choram dias a fio sentindo-se as piores vítimas. Sem consolo começam a não prestar atenção no mundo lá fora, fora delas mesmo quero dizer. O sol sai; a lua brilha; a chuva cai; as flores desabrocham; frutos maduram; praia, festa e dentro delas o tempo é sempre o mesmo: nuvens de tempestade, raios, trovões e um ar pantanoso de filme de terror. Até que um dia uma destas aranhas tecedeiras de pensamentos e de sonhos brumosos, deixa cair um ponto de seu tecido e uma nesguinha de luz consegue passar e por um ponto e vírgula nesta história de lamentos sem ponto, nem reticências. Um olho a vê, o outro segue o primeiro e a curiosidade de ver o que está passando, leva-as a deixar um pouquinho as queixas na gaveta do armário das lamentações e com dificuldades abre a cortina.
Assim pode começar sua recuperação e irá correr atrás de outra roda, outro pedal de bicicleta outro rabo que passe, que não seja o próprio, e começa a correr em linha reta outras vez os caminhos da vida.
Então seja ou não seja feliz seu dia, creia que lá fora, de você, sempre estará a oportunidade de ver despontar outra estrela num céu escuro. Nunca tenha medo de dar o primeiro passo, ainda que tropece, pior é não arriscar-se a dar passo algum.
IsiCaruso
16-10-13



sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Classi ‘poeti’ ficado


Corrijo textos: ortografia, concordância,
conjugação, sintaxe e pontuação.
Seus erros passados dependem de sua revisão.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Meu conto uma homenagem ao centenário de Vinicius de Moraes

CONTOS DE SOM E SILÊNCIO

Desci do fio da melodia
para alcançar as estrelas
tracei sonho destraçado
do feito daquele dia
do meu vizinho do lado.
 IsiCaruso

Contos de Som e Silêncio é o primeiro livro impresso com textos produzidos na Oficina de Escrita Criativa Online do professor Marcelo Spalding.
Embale seu coração com as melodias traduzidas em palavras de CONTOS DE SOM E SILÊNCIO, tenho certeza de que vai gostar! Histórias inspirados em letras das músicas: Construção, Deu pra ti, A Novidade, O Meu Guri, Encontros e Desencontros, Um homem chamado Alfredo, O menino da porteira, Medo da Chuva, Exemplo, Ronda e Lanterna dos Afogados, além das internacionais Carmen e Wings.
Somos treze e nos reunimos para brindar-lhe horas de deleite. Eu, Isiara Caruso (IsiCaruso), Alexandre Braoios,  Bertolina Maffei,  Carolina Flores,  Clara Oliveira, Érika Gentile, Evelena Boening, Fatima de Barros Plein, Fernanda Carvalho, Jussara Maria Nodari Lucena, Marcio Tadeu Furrier e Valesca dos Santos Pederiva.
Quer saber mais? Então mande uma mensagem  aqui no blog e adquira o seu exemplar comigo!
Envio pelo correio sem custo ( no Brasil).

R$ 15,00

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Ser professor





Vivo,
mas luto para viver,
pois escolhi ser professor
e aquele a quem ensinei,
que hoje está no poder
é meu maior opressor.
Não quer a escola do povo,
pois teme a força do ensinar,
não quer ver um líder novo
seu mando desestabilizar.
Aquele que conhece contesta
não aceita submissão,
por isto ao poder pouco importa
o que se faz pela educação.
Mais escolas, menos lucro
menos gente para pensar,
na hora do voto livre
não saberão ponderar.
Difícil ser professor
peleamos nossa lida
se educação desacomoda
a luta não será perdida.

07/06/1989

terça-feira, 18 de junho de 2013

El Poder

 primero impidió su palabra

                        después  le quitó la voz

                                             al final se llevo su alma.











Imagem retirada de http://www.amigosdepelotas.com.br/blog/o_gigante_bebeu_demais; google

sábado, 8 de junho de 2013

Vó especial!

Depois que recebi esta mensagem da minha neta querida, mais certeza tenho de que ela é muito especial.
Esta é Gabriela, minha neta bela!
Esta a mensagem!

              Ter a vó melhor do mundo não é para todo mundo é só para quem pode!!!!!!!!!!!
Olha eu tenho a melhor vó do mundo e ela não é normal como as outras ela é determinada e sabe oque quer e não fica sentada numa cadeirinha de balanço fazendo crochê ela escreve cuida da casa e já escreveu 4 ou 5 livros, como ia dizendo ter uma vó dessas não é para quem quer é para quem pode
Te amo muito vovó

Gabriela.P.Caruso.B

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Bailariniña


imagem de google 
Deixa que teu sorriso lindo
brilhe na noite escura
e que teu sonho de bailarina
acenda a lamparina,
que jaz perdida no tempo
e faça em mim a menina
bailar voando no vento.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

45 anos de profissão!


2013, ano do centenário da nossa querida escola I.E.E.Juvenal Miller que nos acolheu e guiou os passos rumo à nossa profissão. Algumas de nós passamos parte de nossas vidas entre suas paredes, pois começamos no Jardim de Infância e saímos professoras.
Em agosto  completaremos 45 anos de formadas, guardados neste tempo estão: passado, pessoas, pegadas, passos, caminhos, descaminhos quem sabe, alegrias tristezas, rastros, rostos, mãos ávidas de ajuda, olhos esperançosos, prantos, júbilos, realizações, ganhos, perdas, crescimento, pedaços de vidas.
Meu  agradecimento às minhas colegas que caminharam comigo desde aquele início no jardinzinho da tia Susana, ao final no dia desta foto e a todas que foram encontrando-nos no caminho e acrescentando momentos mágicos a nossas vidas, porque me deixaram-me  suas marcas. 

sexta-feira, 29 de março de 2013

Ronda no tempo

Andrea Honaiser_Passa Passará


A canção do tempo ressoa no vento
os versos que da infância buscam-me e renascem
no jogo da amarelinha pintado na calçada,
da corda que bate o compasso na areia do pátio,
da roda onde a Margarida está num castelo.
Passa, passa, já passei pelo símbolo da cruz
uma menina deixei, passei por aqui, passei por ali,
e para a vida parti.
Agora quando olho atrás o tempo que já “passarou”
 pergunto outra vez - Mamãe posso ir? Quantos passos?
escuto na voz do vento que da ciranda ecoou:
-Todos que queiras dar, na saudade que ficou!

sexta-feira, 15 de março de 2013

Poesia

Posto hoje uma poesia da minha amiga Terezinha Lanzini!



Hoje é o Dia da Poesia.
Dia de falar de flores,
dia de lembrar de amores...
Meu coração silenciou, escutou e,
embriagou-se com tantos bens...
carinho de perto,
lembranças de longe,
poetas que sabem e sentem,
que a beleza da vida se esconde
por aqui, por ali e onde menos se espera...
e assim, ficam juntando palavras,
tecendo poemas
para simplesmente falar de amor.

Abraço querida Terezinha, lindas palavras!

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013